terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

tempo...


o tempo se arrastou tão lentamente..
arrasado
estava franzino
mirrado
não era mais um menino sorridente...

passou tão lentamente
por mim
que nem percebi seu rosto
mas...
o tempo agora era um velho
os anos se passaram
e o tempo, também passou

não lembrava mais o velho (era novo, isso sim!) tempo,
aquele que a gente ria,
aquele que nos contava piadas sobre tudo,
sobre a vida...
o tempo agora morria.

olhei procurando o tempo,
já havia ido,
descido a montanha de toda uma vida...
pois o tempo, passa e não volta,
e isso é coisa que ninguem duvida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

OBSERVE QUE NÃO SERÁ ADMITIDO EM HIPÓTESE ALGUMA COMENTÁRIOS AGRESSIVOS. EM NENHUM GRAU DE AGRESSÃO. E ISSO É SUBJETIVO POR ISSO EU POSSO ACHAR UMA COISA QUE VOCE NÃO ACHA RUIM, MUITO AGRESSIVA E PORTANTO NÃO POSTAR. TAMBÉM NÃO PODE ANUNCIAR NEM VENDER NEM FAZER PROPAGANDA DE NADA. OBRIGADA!